Sincero Sorriso

Pensamentos invadem minha mente
Sobre o que cada um em si sente
Cada um que não tem um lar
Mas que ainda sim
São capazes de amar

Amar a Deus sem reclamar
Quem na rua se põe a humilhar
Por pela vida precisar mendigar
Seres que também se põe a chorar
Por tudo o que tem que passar
...
Minha mente viaja
Por tantos pensamentos
O veneno da naja
Veio com os ventos
Surgiu do nada
Em homem tão camarada
Que então no momento
Da cama é detento
...
Detendo como eu
De meus pensamentos
Sincero sorriso meu
Já não vejo há tempos
...
A bela menina
Por mim tão amada
Pela medicina
Deve ser tratada

Oh pobre menina
Tu nem imaginas
O quão me abonima
Terdes de ser operada
Se perdes sua vida
A minha também é tirada
...
Sonhos se esconderam
De seu criador
Não sei se morreram
Sei que grande é a dor
Por não saber onde foram
...
Talvez partiram
Por falta de amor

Talvez não lhes dei
O cuidado de um rei
Não lhes tratei
Com tanto vigor

Sou o único culpado
E então agora eu pago
Por tanto descuido
Com os feitiços do mago

Pois sem estes ao seu lado
O feiticeiro nada é
Assim como um papa respeitado
Que perdeu a sua fé
...
Um louco viciado
Viciado em escrever
Louco desesperado
Por respostas que espera ter

Façam suas apostas
O que irá acontecer?
Ele terá suas respostas
Ou sem elas vai morrer?

Este louco escritor
Que sente tanta dor

Pelo mundo
Pelo tudo
Por seus amores
Pelos horrores
Que a vida reserva
E que nem sempre
Embora Deus leva

Mas este escritor
Continua a crer
Que tudo irá se resolver
E que um dia ele possa ver
Seu sincero sorriso:

 

Reaparecer

© PAOLO VALLINARI 2019