Momentos

Não me deixam os pensamentos
Do contrário, os permeiam
Cada um dos tais momentos
Momentos meu e teu
Nos amando em meu recinto

Junto as velas, uma chama
Acendeu-se em nossos corações
E embora por pouco tempo
Tenha queimado no pavil
Seu brilho foi intenso

Seu calor nos derreteu
Nos ligou e nos uniu
De maneira que estou preso
Atrelado a um sentimento
Que por momento, existiu

E percebi em teu fitar
Na tua boca e em teu tocar
Que este mesmo foi recíproco
O incessante sentimento
De se apaixonar

Porém, veemente paixão
O medo corrompeu
E cada palavra
Que em dizer insistia o coração
Em silêncio ele verteu

Medo de viver
Medo de entregar-se e arriscar
De envolver-se
De suprir
O meu te amar

E te digo
O que deve ser temido
É a insensatez de não ousar
Manter algo belo reprimido
Por simples medo de tentar

Pois na vida arrependemo-nos
Decerto do que deixamos
Do que não fizemos
Do que não vivemos
Eis o maior dos erros

Independentemente do que houver
Nesse tempo que passar
Continuarei aqui
A te esperar
Pois é impossível esquecer-te

Esquecer do que dissemos
Esquecer aquele dia
Crer
Que tudo o que sentimos
Foi mera simpatia

(Ambos sabemos o que foi...)

Enquanto isso, cá espero
Que o tempo tudo solva
Que sentimentos e momentos
Amarrados feito nós
Não nos deixem mais a sós 

 

© PAOLO VALLINARI 2020