Mar de Lágrimas

Jamais me esquecerei
Da imensidão azul
E de amigos do oeste, norte e sul
Que nele conquistei

Amigos de fé
Amigos do peito
Amigos para tomar um café
Ou simplesmente rir junto
Dividindo o mesmo leito

Amizade tão sincera
Que firmou em nossos corações
Em tão pouco tempo

Corações que agora
A distância dilacera
Pela dor da saudade

Pela ausência
De nossa turma
Da nossa galera

Com os olhos marejados
Me lembro de cada sorriso...
De cada piada
E da gargalhada
De cada um
Dos meus amados amigos

Entre amores e intriguinhas
Beijos e fofoquinhas
A certeza que tenho
É que os amo mais e mais
A cada novo dia

Já não mais me contenho
E as lágrimas transformam-se
Em um verdadeiro mar tristonho
Num verdadeiro mar de lágrimas

Pois não há graça em uma vida
Qual quer que ela seja
A ser navegada sozinha
Sem ter ao lado
Verdadeiros companheiros

Companheiros como fomos
Em uma semana apenas
Como muitos não são
Em uma vida inteira

Verdadeiros irmãos
Não de sangue
Mas de coração

E certeza podem ter
Que assim continuará a ser
Enquanto eu viver

Obrigado por tudo
Gratidão
Gratidão
E gratidão!

Saudades então,
De montão...

Mas o tempo que corrói
E destrói
Também cria
E constrói

E talvez essa distância exista
Para construir justamente a saudade
Que por mais que seja chata
Manterá viva a nossa amizade

O carinho por cada um
A lembrança na memória
E a ânsia pelo reencontro

Para que quando este ocorrer
Possamos desfrutar e agradecer
Por mais um dia estarmos
Vendo esse amor florescer

Não importa se cedo ou tarde
Algum dia nos reencontraremos
Afinal, o tempo jamais é tardio
Para aqueles que amam verdadeiramente

E eu, Ha!
Eu amo vocês incondicionalmente...

O mesmo tempo
Que é duro
E frívolo
Criou esse nosso vínculo
Que perdurará por muito além
Do giro do ponteiro
De qualquer relógio que seja

E quando menos esperarmos
Juntos estaremos novamente
Brincando e nos divertindo
Com um sincero sorriso
Como os bons amigos de sempre!

Eu amo muito todos vocês!

 

© PAOLO VALLINARI 2019