Como

Como posso viver?
Enquanto continuo preso
À sombras e cinzas
De um passado ainda tão presente?

Como posso seguir?
Enquanto sua voz
Ainda sussurra em minha mente
Dilacerando minha sanidade e razão?

Como posso crer?
Que tudo se resolverá em breve
Enquanto ao mesmo tempo
Luto para que a resolução não chegue nunca?

Como posso deixar?
Deixar ir, deixar estar
Se meu coração anseia que fique
Que não se vá?

Como concentrar-me?
Enquanto acordo, vivo
E a cada dia também morro um pouco mais
Pensando em ti, querida?


Como posso conter-me?
Conter a loucura
Dessa chama do amor
Em mim ainda tão acesa?

Como posso?
Como posso, qualquer coisa
Mas ter você
Não posso mais?

Qual a graça no viver
No sentir
No prazer
Sem ti?

Se o destino traça
Este caminho
Quem sou eu
Para discordar?

Percebo que não adianta

Estou fadado a viver
Com a imensa dor
De te amar
E não te ter

 

© PAOLO VALLINARI 2019